Páginas

domingo, 11 de outubro de 2009

Ilha do Cardoso - SP


Findava o ano de 2006 e eu estava com elevado nível de stress decorrente da minha carga horário de trabalho...O meus dois empregos exigiam de mim algo que estava acima da minha capacidade de suportar, eu trabalhava nos três períodos.Isso mesmo....Saía de casa à cinco da manhã (acordava às 4) e só retornava às 22:00h, depois de enfrentar um trânsito infernal e de me alimntar de maneira incorreta, devido a correria.
Diante dessa situação, tudo que eu queria naquele fim de ano era "sumir"...Sumir para um lugar onde não se ouvisse barulho de sirenes, buzinas, gritos de crianças, onde relógio fosse acessório tatalmente dispensável, um lugar onde a paz e o silêncio reinassem absolutos. Entao, falando sobre isso com um colega de trabalho, ele disse que esse lugar existia de verdade e ficava relativamente perto de São Paulo, no extremo sul do litoral paulista. Foi assim que conheci a Ilha do Cardoso, um paraíso ecológico situado no distrito de Cananéia e distante da capital 258 Km, um lugar com belas cachoeiras, muitas trilhas, praias completamnte desertas, fauna e flora riquíssimas e um dos pedaços de mata atlântica mais preservados do Brasil. Realmente aquilo era o paraíso que eu estava buscando.
Travessia entre Cananéia e a Ilha do Cardoso

Chegamos em Cananéia na noite do dia 23 de dezembro e lá dormimos pensando em embarcar no dia seguinte mas isso não foi possível pois, os barqueiros não queriam trabalhar nesse dia, queriam passar o Natal com suas famílias, como é de praxe.
Nós (meu marido e eu) nunca fomos um casal apegados a essa tradições e sempre  somos favorecidos por conta disso tendo em vista que nessa ocasiões conseguimos diárias mais baratas em hotéis e pousadas, passagens mais em conta ou estradas completamente vazias. Por favor, não pensem que não amamos nossa família, muito pelo contrário,ela é nosso maior patrimônio. É que não precisamos esperar o Natal para expresar nosso amor e para nós ele não é uma data tão importante assim.
Tivemos que dormir mais uma noite em Cananéia então, aproveitei para conhecer a cidade que embora "bonitinha" não oferece grandes atrativos.
Dia 25 embarcamos rumo à Ilha. Existem duas opções de transporte para se chegar lá.A primeira opção é pegar uma lancha (bem pequena)apelidada de voadora e a segunda opção é pegar uma escuna e nesse caso é necesário esperar formar a lotação com determinado número de passageiros. A nossa escolha foi pela segunda opção pois como já sabem, embora eu adore o mar, morro de medo dele e sempre me iludo que quanto maior for a embarcação menor será o meu medo....Pura ilusão.
A travessia durou um pouco mais de3 horas e a escuna deslizou suavemente pela águas de modo que pude relaxar um pouco e curtir a paisagem deslumbrante, a festa e brincadeiras dos golfinhos que nos acompanharam por quase todo o percurso. Um  espetáculo inigualável!
Finalmente chegamos ao destino tão esperado.Ficamos na Praia do Marujá, um pequeno povoado porém, o lugar mais habitado da ilha. Lá tinha na época apenas duas pousadas: http://www.pousadailhadocardoso.com.br/ e a outra  mais rústica e simples www.cananet.com.br/sossego . A primeira delas me pareceu melhor mas não consegui me hospedar em nenhuma das duas pois não tinham vagas então, nos hospedamos na casa de uma família nativa. É comum por lá essas famílias alugarem quartos das suas casas e até mesmo transformarem seus quintais em campping.
Nesse quesito não tivemos a menor sorte, o preço cobrado foi exorbitante, o café da manhã era tão restrito que ficávamos com fome, serviam apenas uma xícara de café com leite e ofereciam um uma fatia de pãozinho, sem direito a repetir.Isso era um problema pois caminhar costuma abrir o apetite e a caminhada é  algo que mais fazemos por lá.
Levei duas câmeras fotográficas, alguns cartões de memória e baterias pensando que voltaria com a bagagem mais pesada de tantas fotos que eu faria porém, isso não aconteceu já que na ilha não tem luz elétrica e os donos da casa só ligavam o gerador por volta das 20:30h e desligavam o mesmo antes das 22:00h...Se não fossemos rápidos, até o banho tomávamos no escuro. Como se não bastasse tudo isso ainda nos colocaram em um quarto minúsculo com 3 beliches e uma cama de solteiro, sem ventilador e muito escuro já que não podíamos abrir a janela por causa da invasão de mosquitos.Ainda bem que conseguimos ficar só nós dois no quarto (claro que pagamos uma taxa a mais por esse luxo). Que me desculpem os viajantes acostumados a dividir quartos de hostels mas eu não gosto nada dessa história de dividir meu  quarto com desconhecidos. Resumindo, nossa hospedagem foi horrível mas, prefiro pensar que esse foi apenas o lado ruim da moeda pois por outro lado foi muito bom. Tinha o sossego que eu precisava e as paisagens que eu desejava.
Somos seres de hábitos diurnos mas sempre saíamos para dar umas voltas à noite, até porque era quase insuportável ficar naquele cubículo que era o nosso quarto e, durante esses  passeios noturnos vimos que o forró rola solta no Bar do Expedito e também rola um regae em outro bar que não me recordo o nome.Mesmo assim, preferíamos ir para a beira do mar, ficar ouvindo as ondas quebrando na areia ou apenas olhando as estelas... Um programinha bem romântico que nunca perdemos o hábito.
                             
                             
Existem alguns passeios interessantes que eu não fiz pelo motivo citado no começo do texto mas um desses passeios chamou a minha atenção.Trata-se de um passeio noturno em uma lancha voadora para ver jacaré de papo amarelo. Quem sabe esse seja um motivo para eu voltar lá.
E para finalizar, a minha dica é: jamais deixem de levar uma lanterna (com pilhas, claro...Hehehe) e muuuuito repelente pois, ali os mosquitos são capazes de devorar um ser humano.
                              
     
     
      

11 comentários:

Maggie disse...

Migaaaaaaaa lindo!!!!
Que lindos lugares......parece uma tela , uma linda pintura!!!!
Vou continuar me deliciando........
Beijossssss no seu coração
Maggie

Maggie disse...

Migaaaaaaaaaaa Lindo!!!!
Beijossssss
Maggie

Fê França disse...

Nossa, mas deve ser lindo esse lugar! Vou anotar no meu caderninho para visitar um dia. Ou melhor, vou guardar seu blog para consultar sempre ;-) Beijos, Fernanda.

Yoyo Pizy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Yoyo Pizy disse...

Maggie,
Obrigada minha amiga querida!
Visitas como a sua, serão sempre um prazer enorme
Te adoro irmã de alma
Bjo

Yoyo Pizy disse...


Vale a pena porém, a minha recomendação é que vc faça antes uma reserva em uma daquelas duas pousadas para não passar pelo qu eu passei com hospedagem....Rs
A primeira pousada citada aqui,me pareceu mais bem estruturada.
Bjo querida e volte sempre

IVANEIDE disse...

Fotos lindas Lane! parabéns (qual a máquina ? rsrrs)

Yoyo Pizy disse...

É uma NIKON D50 Neide, com objetivas nikkor

Anônimo disse...

conheça tambem ILHA COMPRIDA , voce não se arrependerá,até porque é mais perto,e com muitas opções de lazer,e o mais importante,pelo menos os locais que eu conheço,não tem mosquitos.

nhonorato@ig.com.br

afonso pires disse...

o lugar e lindo eu nasci la vivi minha infancia la, hoje eu moro aqui em cananeia tenho muita saudade do lugar e da praia . afonso pires.

Yoyo Pizy disse...

É lindo mesmo, Afonso
Obrigada pela visita em meu blog

Related Posts with Thumbnails

Viajam Comigo

Leve-me com Você